Cantinas em Escolas

Há dois meses venho tentando na Prefeitura Municipal de Araruama resolver a questão de Licitação e Alvará para a minha cantina na Escola Municipal Moyses Ramalho...

8 de março - Dia Internacional da Mulher

A Prefeitura de Araruama, através da Secretaria Municipal da Terceira Idade e Desenvolvimento Humano, está preparando uma programação especial para o Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 8 de março.

De divas a fadas cabeludas; confira fantasias que desfilaram por Olinda

Carnaval de Olinda sem fantasias é algo impensável para os foliões. Nem o calor nem o sobe e desce ladeira intimida quem procura se destacar na multidão.

Grupo Especial encerra desfile empolgando o público na Morada do Samba

A noite começou com céu limpo e o público compareceu em peso no último dia de desfile das Escolas de Samba de Cabo Frio.

Japão decreta alerta nuclear; novo terremoto atinge região

O ministro do Comércio e da Indústria japonês, Banri Kaieda, admitiu nesta sexta-feira um vazamento na usina nuclear de Fukushima, depois de funcionários reportarem um aumento da pressão em um dos reatores após o terremoto.

25 de out de 2010

As mães não deveriam morrer

ADOREI!!!  Leia....

Uma amiga perdeu a mãe, de repente. A notícia me alcançou por e-mail, agora que a internet deixou o mundo pequeno. Estou longe, mas também aqui, neste lugar sem distância que é o mundo virtual. Mas com tempo veloz, em que uma hora pode ser um pretérito definitivo na disputa pela supremacia dos segundos. Como era antes, quando as notícias levavam meses para chegar e o mundo sobre o qual falavam já tinha inteiro se transmutado, quando as cartas eram sempre um retrato do passado? Agora tudo é agora. E os tempos se confundem de outro modo. Mas se confundem.
Senti tanto o desamparo da minha amiga, porque sei que as mães não deveriam morrer. Na mesma noite sonhei com meus mortos. Meu avô sentava-se com minha avó ao redor da mesa da cozinha como antes e como nunca, porque meu avô sabia que minha avó tinha morrido e eu sabia que meu avô tinha morrido uns 20 anos depois dela. E uma quarta pessoa, desconhecida de todos nós reunidos naquela cozinha, sabia que eu também já tinha morrido, numa outra época que ainda não chegou para mim. Mas comíamos bolinhos de chuva naquela mesa porque compreendíamos que, no curto espaço de existência, neste soluço entre o nascimento e a morte que pertence a cada um de nós, nem os sonhos devem ser desperdiçados. E ali, enquanto eu dormia num quarto de hotel, éramos uma impossibilidade lógica que conversava e que ria.
Quando perdemos alguém que amamos, a dor é tão extravagante que nos come vivos, como se fosse uma daquelas formigas africanas que vemos nos documentários da National Geographic. A dor está lá quando acordamos. Continua lá quando respiramos. Nos espreita do espelho diante do qual escovamos os dentes pela manhã com um braço que pesa uma tonelada. E, quando por um instante nos distraímos, crava seus dentes bem no coração. Neste longo momento depois da perda, sabemos mais dos buracos negros do que os astrônomos porque carregamos um dentro de nós. E arrancamos cada dia nosso do interior de sua boca ávida, com uma força que não temos, para que não nos sugue de dentro para dentro. 

Sai de cena a peça rosa que deu fama a Geisy Arruda. Ela não

Um ano depois de ser insultada pelos colegas universitários e virar uma espécie de celebridade, Geisy Arruda vai mostrar muito mais do que insinuou seu vestido rosa. A ex-estudante da Uniban, de 21 anos, posou para a edição de novembro da revista Sexy, em Punta del Este, no Uruguai. “Todos achavam que eu iria sair nua e usaria meu corpo para ganhar dinheiro”, disse. “Primeiro ganhei dinheiro sem usar minha sensualidade.” E por que resolveu usar o corpinho agora? “Por causa de minha situação financeira. Preciso comprar uma casa para meus pais.” O cachê da revista não foi o suficiente, segundo ela. Mas, juntando com os direitos autorais de sua biografia, que será lançada em novembro, e com a indenização de R$ 40 mil que a Uniban foi condenada a lhe pagar, deve dar... 
 
 
 

Aluga-se (quase) tudo

O mundo dos milionários está mais acessível. Imagine-se calçando legítimos sapatos franceses Louboutin e levando, a tiracolo, uma bolsa Louis Vuitton. Isso já pode ser alugado – assim como várias outras coisas, de cachorros a brinquedos. É mais barato que comprar, ajuda a preservar o meio ambiente e desenvolve, em quem pratica, certo desapego. Nas próximas páginas, o guia da felicidade temporária.
Viver como uma Cinderela por algumas horas é apenas uma das opções que os novos aluguéis estão permitindo. Quem quiser, e tiver meios, pode transformar a casa em um verdadeiro palácio: lustres de cristal, mobiliário do século XIX e quadros valiosos de artistas na parede. O único detalhe é que o cenário deve ser desfeito após algumas horas, quando vence o prazo e tudo tem de ser devolvido. Só no Brasil há mais de uma centena de lojas e clubes on-line especializados na locação de artigos de luxo.
Até as celebridades decidiram praticar o tal empréstimo remunerado. Elas não apenas experimentam a casa de outro artista como alugam suas propriedades para pessoas comuns. É o caso do cantor Mick Jagger, dono de uma mansão no Caribe (R$ 35 mil a semana). “O aluguel dos próprios bens é uma estratégia de autopromoção”, afirma o corretor americano Richard Klug, especialista em imóveis de alto padrão e responsável pela propriedade do roqueiro. Mas é também, segundo ele, uma forma de manter a propriedade ativa e conservada, com recursos gerados por ela própria.

Saúde inicia campanha contra Hanseníase

A Secretaria de Saúde de São Pedro iniciou esta semana uma campanha contra a hanseníase, doença que se instala principalmente em nervos e pele. Ela é transmitida pela respiração de uma pessoa doente sem tratamento. O setor de Vigilância Epidemiológica (VE) em São Pedro convida todos os munícipes que apresentarem algum sinal de manchas esbranquiçadas, caroços avermelhados ou castanhos na pele a comparecer à sala da VE na UMIS para agendamento da consulta. Outros sinais são partes do corpo dormentes ou com sensibilidade diferente.
“Se a pessoa perceber algum destes sinais, deve desconfiar que é hanseníase e procurar a Unidade  Mista de Saúde para diagnóstico”, explicou a diretora da VE, Giovana de Barros Sacco. Em 2010 foi diagnosticado um caso da doença na cidade.
 A hanseníase pode atingir homens e mulheres adultos e crianças de todas as classes sociais. Se não tratada tardiamente pode causar incapacidades ou deformidades nas mãos e pés ou olhos.
A campanha vai até 29 de outubro. O endereço da UMIS é Rua Odila Vaio, n° 648, bairro Recanto das Águas. Horário de atendimento: das 7 às 16 horas. 

Macaense é o único brasileiro convidado em evento internacional de grafite

Professor de arte do Grafite pelo Centro de Educação Tecnológica e Profissional (Cetep), da Secretaria Municipal de Educação, o macaense Marlon Gitiranna, o Muk, embarca nesta quinta-feira (28) para Lima, capital do Peru, como o único representante do Brasil no Meeting of Styles, maior evento mundial de grafiteiros. O evento acontece de sexta-feira (29) a domingo (31) e conta apenas com artistas convidados, somando quase 300 grafiteiros do mundo inteiro que vão trocar experiências, estudos e exibir sua arte para o mundo.

Segundo Muk, o convite veio em função da viajem realizada há dois anos ao Chile, onde também houve um encontro mundial de grafiteiros. Mas é a primeira vez que é convidado para o Meeting of Styles, conhecido pela sigla MOS. 

XIV Festival de Frutos do Mar

Feriadão terá evento de rock gratuito

No próximo domingo, dia 31, durante o feriado prolongado pelo Dia de Finados, acontece em Cabo Frio a segunda edição do festival Curta Rock. Ao todo, serão sete bandas de cinco cidades diferentes do Estado do Rio (Rio de Janeiro, Cabo Frio, Nova Iguaçu, Duque de Caxias e Rio das Ostras) mostrando o que de melhor a cena fluminense vem produzindo. R. Sigma (Mathrock), Primícia (Rock), O Último Recurso (Metalcore), Blame Out (Rock), Razor Edge (Heavy Metal), Helgrid (Hard’Heavy) e Immortal Sin (Heavy Metal) se apresentam a partir das 15h na Casa 500 Anos (Rua Coronel Ferreira, nº 141, bairro Portinho).

O evento tem entrada franca e a estimativa de público é de 700 jovens. Desta vez, R. Sigma, a banda vencedora do Festival Nokia Xpress e com clipes na MTV e Multishow, será a atração principal. Segundo o vocalista Lucas Castello, o rock está cada vez mais vivo no Estado, e Cabo Frio será um ótimo lugar para a banda tocar antes da turnê européia.

- Somos antenas ligadas o tempo todo, captamos as coisas que acontecem à nossa volta e assim transformamos em música, seja através da melodia ou da letra. O rock é como o amor e possui diferentes níveis de acesso - completou Castello.

O Curta Rock é um evento com patrocínio da Prefeitura de Cabo Frio, por meio da Secretaria de Cultura, e conta com o apoio do setor privado: Yazigi, NPI Brasil, Pier, Busque Certo e Art Belle.

CAMPEONATO BRASILEIRO DE JIU-JITSU SEM KIMONO

O EVENTO
O Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu Sem Kimono acontecerá no Rio de Janeiro, no ginásio do Tijuca Tênis Clube, no dia 30 de Outubro.
Prazo de inscrição: Prorrogado até 25 de Outubro
Preço: R$ 75,00
Prazo de filiação: 15 de Outubro
Data da checagem e cronograma: 28 de Outubro

Anúncio das chaves: 29 de Outubro
Local: Tijuca Tênis Clube - Rua Conde de Bonfim, 451 - Tijuca
Entrada do ginásio pela Rua Desembargador Isidro, 74 

CAETANO VARGAS é campeão do SuperSurf 2010

O paranaense Caetano Vargas ficou com o primeiro dos dois títulos disputados nesta semana na Barra da Tijuca. Ele foi o campeão do SuperSurf Internacional 2010 e ganhou o Peugeot zerinho de prêmio de melhor surfista nas quatro etapas do circuito organizado pela Editora Abril. A confirmação veio na derrota de Bernardo Pigmeu (PE) para Odirlei Coutinho (SP) nas oitavas de final da grande final da temporada no Rio de Janeiro.
Já o campeão sul-americano só será conhecido no último dia. O líder Raoni Monteiro (RJ) perdeu na sexta-feira, mas ainda pode ser o primeiro bicampeão da ASP South America se Willlian Cardoso (SC) não for um dos finalistas da etapa com nível máximo 6 estrelas neste sábado no Rio de Janeiro.


QUARTAS-DE-FINAL – Com previsão ruim de ondas para o domingo, o encerramento do SuperSurf Internacional foi antecipado. A primeira chamada para o início das quartas de final foi marcada para as 10:30 horas na Barra da Tijuca. O catarinense Willian Cardoso entra na primeira bateria com o paraibano Ulisses Meira. A segunda será entre o carioca Yuri Sodré e o catarinense Jean da Silva.
Dois estrangeiros ficaram na chave de baixo, que apontará o segundo finalista. O espanhol Aritz Aranburu pega Odirlei Coutinho na terceira quarta de final e o sul-africano Brandon Jackson disputa a última com Luel Felipe, pernambucano que despachou a fera Gabriel Medina com uma virada polêmica no último duelo da sexta-feira.

Revelação pop

Quem não queria ver por aqui uma cantora do estilo da Demi Lovato? Apesar de esbanjar autenticidade, é impossível deixar de comparar Lu Alone, a mais nova artista musical teen brasileira, com a musa pop da Disney. Quem ainda não a conhece já deve ter ouvido o hit Not The Right Day na novela Ti Ti Ti, da Rede Globo. Sim, a garota de 17 anos também canta e compõe em inglês, pois morou dos dois aos quatros anos de idade em Dallas, nos Estados Unidos, e, na volta, estudou em escola americana.
Com um talento precoce, a música sempre fez parte da vida da menina que nasceu em Belo Horizonte. Desde criança, sempre costumava a cantarolar para os pais. Quando tinha apenas cinco anos, começou a compor. Ela ainda nem sabia escrever, mas pedia para que colocassem no papel suas composições. Aos seis anos, estreou em um coral infantil e lançou um disco. "Meus pais costumam a dizer que não lembram minhas primeiras palavras, só das minhas primeiras canções", conta. 

24 de out de 2010

Charges - coletânea da campanha presidencial.

Gene ajuda na prevenção do alcoolismo


Um grupo de pesquisadores da Escola de Medicina Chapel Hill da Universidade da Carolina do Norte (UNC), Estados Unidos, descobriu uma variante de um gene que pode proteger contra o alcoolismo.
A variante, no gene conhecido como CYP2E1, está associada com a resposta ao álcool em humanos. O trabalho foi publicado na edição on-line da Alcoholism: Clinical and Experimental Research (ACER) e sairá em janeiro na edição impressa da revista.
Segundo o estudo, de 10% a 20% das pessoas possuem a variante, deixando-as mais sensíveis à ingestão de bebidas alcoólicas do que o restante da população, que conta com outra versão do gene. Para essas pessoas, apenas algumas doses são suficientes para que fiquem embriagadas.
Estudos anteriores indicaram que aqueles que reagem mais fortemente ao álcool têm menos chances de se tornarem alcoólatras no futuro, mas não se conhecia a base genética dessa tendência. Agora, a descoberta com relação ao CYP2E1 aponta um novo mecanismo de percepção do álcool e de como ele atua no cérebro.
"Encontramos um gene que protege contra o alcoolismo e, acima de tudo, que tem um efeito muito forte. Mas é importante ressaltar que o alcoolismo é uma doença muito complexa e há diversas razões por que as pessoas bebem", disse Kirk Wilhelmsen, professor da UNC e um dos autores do estudo.
O estudo analisou centenas de pares de irmãos que estudam no ensino superior e que tinham pelo menos um parente alcoólatra. Inicialmente, os voluntários receberam uma mistura de álcool e refrigerante equivalente a três doses de bebida alcóolica.

Ex-BBB Morango publica fotos sexy no Twitter

A ex-BBB Ana Angélica Martins, também conhecida como Morango, decidiu publicar uma série de fotos “calientes” em sua conta no Twitpic.
As fotos fazem parte de um ensaio maior que será publicado na rede no dia 3 de novembro. Depois de ser eliminada do “Big Brother Brasil”, Angélica foi cogitada para sair na “Playboy”, mas ela e a revista não chegaram a um acordo em relação ao cachê.
Para participar da promoção, o usuário pode copiar a foto e republicá-la em sua conta no Twitpic. Em seguida, deve enviar um e-mail com o link da foto publicada para a modelo. Os 15 participantes com maior número de comentários na imagem ganham entradas vips para a festa de lançamento do ensaio.
As oito fotos já divulgadas podem ser conferidas na conta de Ana Angélica no Twitpic.

Windows 8 chega em 2012

Segundo o blog oficial da Microsoft na Holanda, o sistema operacional Windows 8 será lançado em 2012.
O post, apesar de não trazer mais nenhum tipo de informação, esclarece duas coisas: que os engenheiros da empresa já estão com a mão na massa para construir o sucessor do Windows 7; e, também, que o cronograma do desenvolvimento do software trabalha com a data máxima de 2012. 
Além disso, o post mostra que as subsidiárias da empresa já sabem a data – e, provavelmente, devem se preparar para o lançamento oficial em algum mês de 2012.
A notícia também mostra alguma direção da Microsoft, já que os executivos da empresa não falam sobre a data de lançamento.
O Windows 8, segundo documentos que vazaram da Microsoft no meio do ano, virá com diversas novidades. Entre elas uma tecnologia que dará mais velocidade à inicialização e desligamento do sistema, suporte nativo a filmes e games 3D e, ainda, uma versão para tablets. O sistema operacional deve nascer também com uma loja de aplicativos. 


Enem exige uso de caneta preta e proíbe lápis e relógio durante prova

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano terá restrições mais rígidas durante a realização das provas, em 6 e 7 de novembro deste ano. Os estudantes poderão usar apenas caneta esferográfica preta. Lápis e relógio estão proibidos de entrar nas salas de exame por questões de segurança, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).
Outros itens que devem ficar fora das salas, segundo o instituto, são borracha, apontador, lapiseira, grafite, livros, manuais, impressos, anotações, máquinas calculadoras e agendas eletrônicas ou similares, telefones celulares, pagers, bip, walkman, gravador, mp3 ou similar, ou qualquer receptor ou transmissor de dados e mensagens.

Menino Maluquinho completa 30 anos e é homenageado pelo Google

O personagem mais famoso do escritor, jornalista e chargista mineiro Ziraldo, o Menino Maluquinho, completa 30 anos neste domingo (24). Ziraldo também faz aniversário hoje e comemora 78 anos. Em homenagem, a página inicial do Google Search brasileiro ganhou o rosto do personagem no lugar do segundo “o” e uma panela sobre a letra “g”.
O livro “O Menino Maluquinho” foi lançado em 1980 e se tornou um dos maiores fenômenos editoriais no Brasil da história da literatura brasileira, com mais de 2,5 milhões de exemplares vendidos. O livro que está na 100ª edição já foi adaptado para teatro, quadrinhos, ópera infantil, videogame e cinema.
Ziraldo ganhou destaque nos anos 60 com o lançamento da primeira revista em quadrinhos brasileira feita por um só autor, “A Turma do Pererê”. Durante a ditadura militar (1964-1984), fundou, com outros humoristas, o jornal “O Pasquim”. Os quadrinhos para adultos, com destaque para The Supermãe e Mineirinho - o Comequieto, também estão entre os grandes sucessos do autor.
Suas obras já foram traduzidas para o inglês, espanhol, alemão, francês, italiano e basco.

Parada Gay reúne centenas de pessoas na Rocinha, no Rio

1ª Parada Gay da Rocinha, organizada por associações de moradores da comunidade. (Foto: Bernardo Tabak/G1)

A 1ª Parada Gay da Rocinha, organizada pela União Pró-Melhoramentos dos Moradores da Rocinha (UPMMR) e pela Associação dos Moradores e Amigos do Bairro Barcellos (AMABB), reuniu centenas de pessoas na Estrada da Gávea, no alto da comunidade, no fim da tarde deste domingo (24). Gays, lésbicas, travestis, drag queens e simpatizantes brincavam e dançavam no meio da rua. Um carro de som enfeitado com bolas e faixas com as cores do arco-íris era o responsável por divertir a multidão com música eletrônica. Não foi registrado nenhum tumulto. O clima era de muita alegria e festa.

21 de out de 2010

UEM divulga lista de candidatos por vaga do vestibular 2011

Os cursos mais concorridos são Medicina, com 143,1 candidatos/vaga, Arquitetura (46), Direito noturno (34,4), Direito matutino (29,3) e Odontologia (29). A concorrência nos cursos novos registra a seguinte colocação: Comunicação e Multimeios (13,8), Engenharia Civil/Umuarama (9,2), Engenharia Elétrica (6,9), Engenharia de Produção/Goioerê (6,2), Engenharia Ambiental (4,9), Artes Cênicas (4,8), Bioquímica (4,8), Tecnologia em Biotecnologia (4,1), Artes Visuais (2,8), Engenharia de Alimentos/Umuarama (1,4) e Matemática integral (0,7). O concurso de verão de 2009 registrou 15.111 inscritos; a de 2008, 16.657; e em 2007, 16.640. Nos três últimos concursos de verão, Medicina teve 122,4 candidatos por vaga não cotista (2009, primeiro ano do sistema de cotas), 105,6 (2008) e 80,5 (2007).
Iniciada no Vestibular 1/2006 (realizado em julho de 2005), a aceitação da nota do Enem está suspensa. Em decorrência do atraso na divulgação das notas pelo Inep, elas não puderam ser utilizadas no Vestibular de Verão de 2009. E como houve alteração no sistema de correção dessas provas e como a UEM possibilita aos candidatos a utilização de uma das três últimas notas, o seu uso foi suspenso até o Vestibular de Verão de 2011. Para o Vestibular de Inverno de 2012, a UEM analisará se e como volta a adoção das notas do Enem.
As provas serão realizadas de 12 a 14 de dezembro, das 8h50 às 13 horas, nas seguintes cidades do Paraná: Apucarana, Campo Mourão, Cianorte, Cidade Gaúcha, Goioerê, Ivaiporã, Maringá, Paranavaí e Umuarama. O curso de Música exige prova de habilidade específica, que será realizada de 25 a 27 deste mês. Os candidatos não habilitados nessa fase poderão fazer reopção de curso. O resultado geral será divulgado em 14 de janeiro, às 10 horas, pelo site www.vestibular.uem.br.

Mulheres com filhos X mulheres sem filhos

A gerente de marketing Cíntia*, 30 anos, de São Paulo, solteira e sem filhos, comanda um grupo de seis mulheres. Ela está aflita para fechar um projeto que será implementado na semana seguinte. Uma de suas subordinadas, Carolina*, não poderá ficar até mais tarde, pois avisou que precisa levar o filho ao pediatra. Cíntia tem consciência da dedicação da funcionária, mas não deixa de pensar: Puxa, as coisas aqui estão pegando fogo e ela sai bem agora? Não poderia pedir a alguém para levar o bebê?" Em outra companhia, Alessandra*, gerente de logística, grávida de cinco meses, fica sabendo que a empresa oferecerá um curso de uma semana num hotel fora de São Paulo e enxerga aí uma oportunidade de aprimorar seus conhecimentos. Quando seu chefe se dirige à equipe para decidir de quem é a vaga, uma colega já dispara: "Não manda a Alê, porque ela está grávida". Furiosa e frustrada, ela chega em casa e cai em prantos. "Essa não foi a primeira vez em que fui tirada de algum projeto ou de um curso por causa da minha gravidez. Não sei se querem me proteger ou pegar o meu lugar. Fico superinsegura. O que acontecerá então quando eu sair de licença?"
Um embate, na maioria das vezes velado, está em curso entre profissionais com e sem filhos. De um lado do ringue, estão mães exaustas, se desdobrando para dar conta da família e do trabalho, cheias de culpa. Do outro, mulheres sem filhos, disponíveis para focar todo o tempo e a energia na carreira e alheias aos dilemas das mães que trabalham fora. Será que a ascensão profissional nos próximos tempos será determinada pelo fato de a mulher ter ou não ter filhos? A questão é polêmica e divide quem trabalha com recrutamento. "Vai depender da posição da empresa em relação a essas duas profissionais e da estrutura que a própria mãe vai montar para manter o ritmo de trabalho", afirma Patrícia Epperlein, sócia e diretora-geral da Mariaca/InterSearch, empresa de recrutamento de executivos.
Fonte: Revista Cláudia

Como construir o estudante do século 21

Os desafios nunca foram tão imensos, e o papel da escola na superação deles é crucial. Como educar cidadãos para um século que, segundo o historiador inglês Eric Hobsbawm, talvez não seja tão mortífero quanto o anterior, que assistiu a duas grandes guerras, mas que já se anuncia turbulento? Como preparar crianças e jovens para enfrentar – e quem sabe melhorar – uma sociedade desigual e polarizada, com ricos cada vez mais ricos e competitividade crescente?
O que fazer para que a geração que hoje freqüenta os bancos das escolas aprenda a proteger o planeta? Qual a melhor maneira de mostrar a esses jovens, habituados a relações virtuais, quão valioso é o contato físico, o olho no olho?
“Não basta apenas entregar um conjunto de informações: é preciso preparar para pensar”, acredita o educador Moacir Gadotti, diretor do Instituto Paulo Freire, em São Paulo, e consultor da Unesco, o braço das Nações Unidas para a educação, ciência e cultura. O assunto é tão sério e urgente que, ainda nos anos 90, a Unesco encomendou ao político francês Jacques Delors um relatório sobre a educação para o novo século. No texto, concluído em 1996, Delors indica quatro pilares que devem moldar o aprendizado no nosso tempo: aprender a aprender, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser. “A grande mudança pode ser sintetizada no conceito de educação para toda a vida”, afirma Gadotti. Isto é, a aquisição de conhecimentos não se limita à escola: ela nunca pára de acontecer. “É uma visão holística da educação.”
No Brasil, com um sistema de ensino cambaleante, escolas depauperadas e professores despreparados, os pilares de Delors soam como utopia. Não são. Na linha de frente do ensino, pensando no futuro, várias escolas públicas e privadas vêm experimentando estratégias para melhor preparar crianças e jovens para o complexo século 21. Para pais e mães, as iniciativas delas podem ajudar na escolha do melhor ensino para o filho. 
Fonte: Revista Claudia 
 

Mulheres misteriosas

"Gente, adorei o texto, leia e dê sua opinião".

Uma vez conheci uma moça que poderia disputar o posto de mulher mais encantadora do mundo. Linda e espalhafatosa, ela ria alto, falava alto e tinha uma multidão de amigos – além de uma legião de fãs. Poucas mulheres poderiam ser mais queridas ou mais desejadas, mas ela não estava satisfeita.
Seu sonho, ela me disse, era ser misteriosa. Lembro dela com o rosto parcialmente escondido atrás do batente, me olhando com olhos semicerrados e exibindo nos lábios uma expressão desdenhosa – assim, ela dizia, deveria ser uma mulher realmente sedutora, não aquela coisa luminosa e transparente que ela tinha nascido para ser. Eu ria da inocência dela.
Essa história tem alguns anos, mas não saiu de moda. As mulheres, como os homens, têm na cabeça receitas de como deveriam ser – em oposição aquilo que são de verdade.
Outro dia eu falava sobre isso com uma colega e me lembrei do Clint Eastwood. Eu queria ser como ele quando adolescente. Não falo dos olhos azuis ou da cara de gringo, mas da atitude. Seus personagens no cinema eram lacônicos, distantes, intimidadores. Aquilo era um homem de verdade, eu pensava. Não o garoto cordial e sorridente que eu era.
O tempo passa, mas esses estereótipos não desgrudam de nós. Todos os dias se reúne na nossa cabeça um tribunal que julga nossos atos à luz do que deveríamos ser. E raramente nos saímos bem dessa comparação, homens ou mulheres. Há um déficit de expectativa que vai sendo administrado pela vida afora. O tempo e a maturidade ajudam a reduzir o fardo, mas não o eliminam. Dentro de nós permanece uma voz que critica, compara, critica, compara, critica...
Não sei se adianta dar conselhos sobre essas coisas, mas vou fazer as minhas observações.
As mulheres mais interessantes que eu conheço são originais. Elas não cabem nos dois modelos de sedutora dos filmes, que admite apenas as variedades “misteriosa” e “meiga”. Elas são muito diferentes disso. Algumas são tímidas e nos atraem por causa disso. Outras falam demais e nos provocam ternura. Há as brilhantes e as bravas, cuja aprovação nos parece um prêmio. E as safadas, que, ao nos escolher entre tantas experiências e possibilidades, nos fazem sentir realmente especiais.
Nenhuma dessas mulheres é perfeita. Nenhuma delas saiu de um filme de suspense ou de uma comédia romântica com as falas prontas. Elas são de verdade e por isso erram, gaguejam, bebem demais e às vezes perdem as estribeiras, o que as torna humanas e amáveis, no sentido de poderem ser amadas.
Da minha parte, tenho preferência por seres humanos meio perdidos, que parecem perguntar todos os dias o que os trouxe ao mundo e para quê. As pessoas que nasceram com GPS e sabem a cada momento para onde estão indo não me provocam empatia. Tendo a me apaixonar pelas fragilidades dos outros, assim como outros homens que eu conheço se apaixonam pela força e pela virtude das mulheres. Somos diversos, não somos?
O importante, eu acho, é se livrar dos estereótipos. Hoje em dia a moça que queria ser misteriosa já deve saber que ela é um estouro à sua própria maneira escrachada, assim como eu percebi que o Clint Eastwood é genial na tela, mas não cabe nem por um segundo na minha vida.
A gente vive, vai iluminando os pedaços escuros da alma (e da biografia) e percebe que aquilo que fizemos de nós mesmos é mais interessante do que os personagens do cinema.Os modelos que tinham nos vendido na adolescência ficaram obsoletos. A moda no século 21 é ser você mesmo, sem causar danos aos outros e ao meio ambiente. 
Autor: Ivan Martins


O gosto musical revela a classe social?

Os versos do compositor Dorival Caymmi disseram que “quem não gosta de samba bom sujeito não é”. Mas de qual tipo de samba você gosta? Gosta de choro ou prefere um pagode? Paulinho da Viola ou Exaltasamba? De acordo com o cientista social Dmitri Cerboncini Fernandes, o gosto musical reflete a classe social a qual uma pessoa pertence.
Em sua tese de doutorado na Universidade de São Paulo (USP), Fernandes classificou os gêneros populares urbanos em quatro subdivisões: o choro, o samba “tradicional”, o samba dos anos 1980 e o samba dos anos 1990.
De acordo com entrevistas feitas por ele com o público de casas de shows de São Paulo e do Rio de Janeiro, a maioria das pessoas que gostam das produções da década de 1990, denominado de pagode comercial, é jovem, com nível escolar mais baixo e moradores da periferia. O público que aprecia o samba da década de 1980 e nomes como Zeca Pagodinho e Fundo de Quintal é mais heterogêneo, com pessoas de uma faixa etária um pouco maior e que cursaram faculdade. Por fim, o samba tradicional – simbolizado por Paulinho da Viola – e o choro têm um público composto por uma maioria de pessoas com nível superior em boas faculdades, grande consciência política e um bom conhecimento musical.
“Foram os críticos, ao longo dos anos, que formataram esse tipo de divisão por classes sociais”, afirma Fernandes. Para ele, os elementos discursivos utilizados por eles, que escreviam para uma classe média mais intelectualizada, criaram divisões simbólicas do que era ‘bom’ ou ‘ruim’ dentro do samba e do choro. O que os críticos descreveram como músicas de "qualidade", desde o início do século passado, acabou por influenciar o gosto musical de cada classe social. Aquelas que tinham mais acesso às críticas passaram a não gostar dos gêneros considerados ruins. Quem não lia as opiniões dos comentaristas acabou gostando de ouvir essas canções desprezadas. Dessa forma, moldou-se a relação entre o gosto musical e a classe social. Esse processo acontece até hoje, na opinião de Fernandes.  

Governo quer regulamentar venda de antibióticos


Para tentar coibir o uso indiscriminado de antibióticos no país, o governo quer regulamentar a venda deste tipo de medicamento, tornando obrigatória a apresentação de receita médica. A informação foi dada pelo ministro da Saúde, José Temporão, após participar de uma cerimônia no Palácio do Planalto. Segundo ele, a exigência da receita diminuiria a venda deste tipo de medicamento, o que ajudaria a diminuir a resistência das bactérias ao medicamento.
Temporão disse que o uso indiscriminado de antibióticos deixa as pessoas resistentes aos medicamentos, impedindo que o corpo reaja quando eles são aplicados.
O ministro atribui a este uso indiscriminado o surgimento e a mutação da superbactéria KPC, que já atacou pelo menos 135 pessoas no Distrito Federal, e matou 15. "O autoconsumo, o consumo irresponsável e a má prescrição é que levam a situações como esta", disse. Ele reconhece, no entanto, que a infecção também pode ter se disseminado por causa de "falhas no processo de controle de infecção hospitalar". Segundo o ministro, "a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) está concluindo uma nova regulamentação a partir da qual o acesso a antibióticos nas farmácias só vai poder se dar através de receita médica". 
Há quatro meses, a Anvisa abriu consulta pública para receber contribuições e sugestões para estabelecer mudanças nas regras para a venda desse tipo de remédio e para discutir o aumento da fiscalização. Hoje, o paciente precisa apenas de uma receita simples para comprar a medicação, mas muitas farmácias ignoram essa exigência e vendem o produto sem prescrição.
Pela nova regra, as receitas teriam de ficar retidas nas farmácias para evitar que a pessoa pudesse comprar novamente o medicamento para uso, sem uma nova indicação médica. Embora o ministro Temporão tenha dito que a bactéria KPC estaria isolada em Brasília, já há registros da presença dela na Paraíba, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraná. 
Fonte: Revista Época
 

Mostra de SP exibirá mais de 450 filmes em 14 dias

A partir dessa sexta-feira (22), esparramada por mais de 20 salas em toda capital, a tradicional Mostra Internacional de Cinema de São Paulo oferece o equivalente a 27 dias no escurinho de cinema. São mais de 450 filmes, 644 horas de projeção, quase um mês de sombra. Um perfeito e saboroso chá de cadeira, ou melhor, de poltrona.
Woody Allen integra o rol deste ano com "Você vai conhecer o homem dos seus sonhos", filme que foi exibido pela primeira vez em Cannes e tem no elenco Anthony Hopkins, Naomi Watts e Antonio Banderas. Já Sofia Coppola, cineasta filha de Francis Ford que caiu no gosto do público com "Encontros e Desencontros", traz seu "Um Lugar Qualquer", que venceu o Leão de Ouro no Festival de Veneza. Contraponto máximo aos clássicos está em Rodriguez, que apresenta seu mexicano sanguinolento "Machete", com Lindsay Lohan, Robert De Niro e Steven Seagal. Já "Uma carta para Elia", de Scorsese, é um tributo a Elia Kazan. 
Fonte: IstoÉ

Cinco filmes que todos os nerds devem ver

Qual foi o filme que mais influenciou o nerd/geek que existe dentro de você? Opções não faltam, mas resolvi selecionar algumas que fizeram a diferença no curso da minha vida. Não sei se para melhor ou pior, mas…
A Geek list de hoje traz cinco filmes que todos deveriam assistir. Sempre vai faltar algum, mas temos que começar de algum ponto. Confira:
   
 - Blade Runner: Harrison Ford interpretou um dos melhores caçadores de andróides que já vi. A ambientação “tech noir” e as influências culturais quase fazem o filme explodir de tantas referências. Além disso, quem nunca quis ter um spinner.

- Tron: Eu basicamente cresci jogando simuladores de ligth cycles. Toda vez que Tron ia passar na Sessão da Tarde, eu arranjava alguma desculpa para não interagir socialmente com família e amigos. Ser digitalizado e participar de aventuras dentro do computador era o meu sonho de carreira.   
- Matrix: Um dos melhores filmes geeks de todos os tempos que bate de longe suas continuações. A ideia de viver dentro de uma grande simulação deixou muitas pessoas com graves crises existenciais…
- 2001: Arthur C. Clarke era um gênio. Para sua época, 2001 foi um marco com ótima fotografia, tema interessante e um robô insano.
- Star Wars (trilogia original): Os filmes misturam o clima de guerra fria da época com um romance de capa e espada no espaço. O resultado é épico. Sobre os novos filmes, talvez meu filho (que ainda não existe) ache que eles são épicos também.
Não deixe de ver também: “O dia em que a Terra parou” (original), “Exterminador do Futuro II”, “Alien o 8º Passageiro”, “War Games”, “Metropolis”, “Brazil”, “Star Trek: A ira de Khan”, “O Quinto Elemento”, “Hackers”, “Eu, Robô” e “Spaceballs”.
Claro, se você tem mais dicas de filmes ou simplesmente não concorda com essa lista, poste nos comentários as suas impressões. 
Fonte: Info Online

Baterias poderão ter tamanho de grão de sal

 Departamento de Defesa dos Estados Unidos investe para criar as menores baterias do mundo.
O projeto da Universidade da Califórnia – Los Angeles financiado pela Agência de Pesquisa de Projetos Avançados de Defesa (Darpa) visa criar dispositivos com, no máximo, o tamanho de um grão de sal.
Eles poderiam ser usados para abastecer componentes eletrônicos e mecânicos de aparelhos em escala nanométrica sem, claro, perder a capacidade das atuais baterias de lítio-ion, presentes em quase todos os nossos gadgets modernos, como laptops, celulares, MP3 players, etc.
Jane Chang, engenheira da UCLA, está projetando um dos componentes dessa bateria: o eletrólito, que permite à carga fluir entre os eletrodos.
A chave está na arquitetura da estrutura das baterias. Para que algo tão pequeno possa ser tão eficiente quanto os dispositivos maiores, é preciso maximizar a densidade de energia potencial. Para isso, os pesquisadores pegaram nanofios e depositaram sobre eles camadas de aluminossilicato de lítio – os eletrólitos. O processo utilizado permite que camadas do material de apenas um átomo de espessura sejam aplicadas com spray na superfície dos nanofios. Dessa forma, eles acabaram criando estruturas tridimensionais.
Outros componentes dessas microbaterias 3D já estão sendo desenvolvidos (como os eletrodos),mas a pesquisa ainda está em estágio inicial: mesmo depois de prontas as partes, ainda será preciso integrá-las.
Os resultados obtidos até agora foram apresentados hoje durante o AVS 57th International Symposium & Exhibition, no Novo México, EUA.
Fonte: Info Online

16 de out de 2010

Ainda o Dia das Crianças

Erros Grosseiros em Português


Dicas de Português
1. As casas só podem ser "geminadas", pois a palavra é derivada de gêmeos. "Germinadas" nem pensar!
2. Ser "de menor" ou "de maior" são expressões comumente ouvidas em rodas de gente estudada, mas estão erradas. "O garoto preso é menor" ou "O rapaz parece uma criança, mas é maior". Mais exemplos:"O delinqüente é menor de idade" ou "O preso é maior de idade".
3. "O aluno repetiu o ano.""A aluna passou o ano.". Só os italianos que ainda falam mal o português dizem "repetir ou passar de ano".
4. "O aluno fica para recuperação", ele nunca "fica de recuperação".
5. Meu aniversário caiu num domingo. Está errado falar "caiu de domingo".
6. O filho saiu ao pai, esculpido e encarnado. "Cuspido e escarrado" é impossível.
7. "Saíram elas por elas" é a concordância correta. "Saiu elas por elas" fere os princípios gramaticais.
8. Atenção políticos e advogados da velha guarda. Tive a "subida honra" de saudar o presidente, nunca "a súbita honra"."Subida" significa elevada; "súbita", repentina.
9. Aos sábados, não trabalho. Está corretíssimo. Errado é falar ou escrever: De sábado, não trabalho.
10. O sujeito escapou ileso de um acidente de trânsito e comete um desatino, falando: "Faltei pouco para não morrer". O sujeito da oração é "pouco", e não "eu", portanto a forma correta é "Faltou pouco para não morrer".
11. Mandado de segurança. Os magistrados expedem mandados. Os políticos têm mandato.
12. Estou aguardando notícias. Nada de dizer "estou no aguardo de notícias". Tal expressão não existe.
13. "Apêndice supurado" ou "Apêndice estuporado" ? Supurado quer dizer convertido em "pus".
14. Seu caderno é "espiral" ou "aspiral"? Lógico, espiral, pois o arame do caderno tem a forma da rosca de um parafuso. Quem diz "aspiral", está dando vexame.
15.Estou quite com o Serviço Militar. Ou é "quites"? Se for uma pessoa só, ela está "quite", porque "Os jovens estão quites com Serviço Militar".

Fonte: Professsor Luiz Antonio Sacconi, (livro: "Não Erre Mais")


Literatura pode ser diferencial no vestibular

Restando menos de um mês para o vestibular da Universidade Federal do Paraná, os vestibulandos aproveitam esta reta final para revisar todo o conteúdo estudado durante o ano. Um dos quesitos do processo seletivo que mais preocupa os estudantes é a Literatura, que abrange dez obras e pode ser o diferencial na soma dos pontos do concurso, em busca de uma vaga. Para dar uma força aos candidatos, professores do Colégio Bom Jesus e da FAE Centro Universitário deram dicas sobre seis livros, considerados os mais complexos da lista para o vestibular, durante a 10ª Feira de Gestão, que aconteceu entre os dias 5 e 7 de outubro e reuniu mais de 5 mil estudantes.
Os primeiros livros abordados foram Dom Casmurro, de Machado de Assis e Romanceiro da Inconfidência, de Cecília Meireles. O professor de Literatura Brasileira e Língua Estrangeira, Carlos Machado Júnior, traçou um panorama com características, referências e temas trabalhados em Dom Casmurro, lembrando que a narração é feita em primeira pessoa e é fortemente ligada ao comportamento humano, como ciúmes, caos psicológico, traição, confusões mentais, entre outras.  Já em Romanceiro da Inconfidência, o professor explicou que a obra apresenta três facetas: poética, dramática e narrativa. Ela fala sobre um momento histórico do final do século XVIII que aconteceu em Minas Gerais: a Inconfidência Mineira. As outras características do livro de Cecília Meireles que devem estar na memória dos vestibulandos são:  espiritualidade, misticismo, musicalidade, delicadeza, sensorialismo, neosimbolismo, assuntos sociais e históricos e a voz feminina que a autora insere no texto.
No segundo dia do evento, foi a vez do professor de Ensino Médio do Colégio Bom Jesus, João Amálio Ribas, falar sobre os livros São Bernardo, de Graciliano Ramos e Muitas Vozes, de Ferreira Gullar. Ribas utilizou músicas para auxiliar na memorização dos aspectos mais importantes das duas obras. Em São Bernardo, ele destacou a fusão entre o social e o psicológico - o que cria uma obra de profunda análise das relações humanas. A história é narrada em primeira pessoa, em linguagem seca e reduzida ao essencial. No livro Muitas Vozes, o professor definiu, como características principais, a sonoridade, erotismo, auto-reflexão, maturidade, metalirismo e a influência de muitos outros poetas. Felicidade Clandestina, de Clarice Lispector e Anjo Negro, de Nelson Rodrigues, foram os livros que encerraram a programação especial para os vestibulandos. O professor de Literatura Marcelo Brum Lemos comandou a palestra e falou primeiramente sobre a obra de Lispector, alertando os estudantes para não esquecerem que Felicidade Clandestina traz reflexões existenciais e metafísicas como características principais.
Por último, Lemos tratou do livro de Nelson Rodrigues, lembrando o contexto social da época retratada na obra, onde a ‘superioridade das raças’ e o início das lutas feministas marcaram o período. 
 

Como ensinar valores, como partilhar e ceder, para filhos únicos

O Brasil já se tornou uma nação de filhos únicos, a exemplo do que ocorre na Itália, Espanha e França, entre outros países. Números divulgados pelo IBGE no fim de 2008 revelaram que a média de filhos das famílias brasileiras já é de 1,8, seguindo uma tendência mundial, motivada geralmente pela falta de tempo (ou de dinheiro) para criar mais filhos. Entre as mães de 30 a 45 anos, várias pararam no primeiro filho porque se divorciaram, mas um grande contingente de casadas fez uma opção clara. Como Danielly Moya, 30 anos, mãe de Bruna, 5. Eu até planejei um casal, mas minha primeira gravidez foi difícil: engordei 20 quilos, tive hipoglicemia e depois do parto sofri uma crise de pânico. Não quero passar por tudo isso de novo, e minha filha não quer irmão.” Ex-modelo, Danielly hoje vende semijoias e administra a carreira da filha, modelo fotográfico. Bruna desfruta do bom e do melhor e desde pequena estuda em uma cara escola americana. “Preferimos dar tudo para um só do que dividir por dois.” 

Políticos na mira de Nascimento

O CAPITÃO NASCIMENTO (Wagner Moura), tornado coronel em Tropa de Elite 2, agora tem um antagonista no filme. Enquanto ele preza a força na repressão policial, Diego Fraga (Irandhir Santos) dá aulas falando de direitos humanos. Logo no início, quando o personagem, um professor de história, é apresentado, o oficial do Bope faz a narração, criticando a turma “dos direitos humanos” em quem os “maconheiros” votam. Fraga é baseado em um personagem real, o deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) – apoiado por Wagner Moura na última eleição. O ator não usa drogas, como supõe o coronel, mas concorda com a ideia apresentada no filme, de que as milícias nos morros cariocas são o que se pode chamar de crime organizado – e Aleixo foi o deputado que pediu a CPI das milícias no Rio. O tom político do longa, adotado também pelos atores, dominou a noite da estreia. Exibido pela primeira vez na terça-feira 5, em Paulínia (SP), Tropa de Elite 2 chegou em carro com segurança, com os convidados tendo de deixar celulares fora da sala, e passar por detectores de metal. Tudo para tentar evitar a pirataria, que fez do primeiro Tropa um marco, tendo sido copiado antes mesmo da estreia e, de acordo com o Ibope, visto por 11 milhões de pessoas de forma ilegal. O público da primeira projeção aprovou a visão do diretor, José Padilha, sobre segurança pública e, claro, mostrou que continua vibrando com Nascimento, aplaudido algumas vezes durante o filme, especialmente no momento em que espanca um deputado.
No dia seguinte, mesmo com olheiras por causa da festa após a exibição, Wagner e Padilha estavam dispostos para o debate. De cinema, pouco se falou, mas de política, muito. Wagner contou estar ansioso pelas perguntas. E elas não faltam: sobre pirataria, segurança pública, milícias, violência, a acusação feita de que o primeiro filme era “fascista”.
Leia mais...

Como afastar os jovens do mundo das drogas

Foram quatro anos sob os efeitos de maconha, cocaína, ácido lisérgico, ecstasy, crack e até chá de fita cassete – uma “droga” a que os dependentes recorrem para suportar crises de abstinência. A triste viagem de Renan começou na casa da família, num bairro de classe média em São Paulo, e o levou ATÉ a favela Paraisópolis, a segunda maior da capital paulista.
“Lá eu estava onde eu queria, com a galera, e me drogava direto”, diz. Seus pais, Alda e Eli, haviam tentado impor limites para afastá-lo da dependência. Primeiro, conversaram. Depois, proibiram o filho de usar o carro, cortaram a mesada, estabeleceram horário para que ele chegasse em casa. Eles não eram novatos no assunto. Antes de Renan, o caçula da família Larizzatti, outros dois filhos do casal haviam passado por problemas semelhantes. “Com três filhos usando drogas, vi que era o fundo do poço”, diz Alda. O casal decidiu internar o mais novo, então com 22 anos. Antes de ser levado para uma clínica de desintoxicação, Renan fez uma ameaça aos pais: “Quando sair, eu mato vocês”. Três anos e dois meses depois do último contato com as drogas, Renan ajuda a família na casa lotérica que os sustenta. “Hoje, se eu matar meus pais, só se for de amor”, afirma. 

Novo tratamento para o suor em excesso

A expressão “suar em bicas” pode parecer exagero para muita gente. Não para o corretor de imóveis Hamilton Fernando Silva, 41 anos, portador de hiperidrose – um distúrbio nas glândulas sudoríparas no qual elas trabalham demais e levam a pessoa a transpirar muito além do normal. Para evitar o constrangimento do excesso de suor descendo pelo rosto, fizesse frio ou calor, Silva criou o hábito de andar sempre com uma toalhinha. A companheira inseparável, porém, foi aposentada há oito meses. Na verdade, substituída. Em vez do pedaço de pano, ele agora leva consigo comprimidos de oxibutinina, que toma uma vez por dia. “É maravilhoso. Antes precisava enxugar o rosto o tempo todo. Com a medicação, isso acabou”, comemora.

Silva é um dos participantes de um estudo recém-concluído da Universidade de São Paulo sobre o uso da oxibutinina para o tratamento da hiperidrose. Os resultados desse trabalho, coordenado pelo médico Nelson Wolosker, professor do departamento de cirurgia vascular, são alentadores: entre 50% e 70% dos pacientes responderam bem ao medicamento. “Antes, as opções disponíveis para tratar o problema eram a cirurgia ou o botox”, fala Wolosker. No entanto, o efeito da toxina botulínica não é definitivo e a substância precisa ser reaplicada periodicamente. O procedimento cirúrgico também não é garantia de cura. Há pessoas que, após a operação, passam a suar exageramente em outras regiões do corpo. É a chamada hiperidrose compensatória.
Leia mais...

A dieta da água

A sabedoria popular ensina há séculos que beber água antes das refeições ajuda a emagrecer. Agora, pesquisadores americanos confirmam a crença. Um estudo provou que ingerir aproximadamente meio litro de água – o equivalente a dois copos –, duas horas antes de comer, três vezes ao dia, ajuda, sim, a perder peso.

Para chegar a essa conclusão, os cientistas colocaram 48 adultos entre 55 e 75 anos numa dieta pouco calórica, mas os dividiram em dois grupos. Só um tomou água antes das refeições. Após três meses, tempo de duração do experimento, todas as pessoas emagreceram, mas as que consumiram a bebida antes do café da manhã, do almoço e do jantar perderam cerca de dois quilos a mais (em média, sete quilos, contra cinco de quem não bebeu). Em­bora tenham escolhido uma faixa etária mais adiantada, os responsáveis pelo estudo acreditam que esse costume possa ajudar pessoas de todas as idades. “Essa ideia popular parecia lógica, mas nunca havia sido realmente investigada”.

 

Superbactérias estão matando

A superbactéria KpC (Klebsiella pneumoniae carbapenemase) pode ter causado 18 mortes no Distrito Federal este ano. Há outros 187 casos suspeitos de infecção. a bactéria circula por Utis de grandes hospitais de são paulo desde 2008. a KpC afeta especialmente pacientes que estão sob cuidados intensivos e neonatais. para infectologistas, a batalha contra bactérias assim está quase perdida. o assustador é que o simples ato de lavar as mãos com frequência – que não chega a 40% em grande parte dos hospitais de são paulo – poderia ajudar.

13 de out de 2010

Sonhar com sexo pode revelar muito mais do que uma simples atração física, diz psicoterapeuta


Acordar transpirando e agitada depois de uma noite de sexo intensa com o chefe pode ser algo perturbador. Principalmente se, ao abrir os olhos, quem estiver ao seu lado na cama for o marido ou namorado. A primeira sensação é a de culpa — as mulheres tendem a carregar esse sentimento quase como um acessório. Depois, a dúvida. Será que estou atraída pelo meu chefe? É bem provável que não. Ao contrário do que pensamos, sonhar com sexo raramente significa uma atração física ou tensão sexual reprimida . “Os sonhos são uma ferramenta para levar questões do inconsciente ao consciente”, diz o psicoterapeuta junguiano Ascânio Jatobá. “E na maioria das vezes essa transmissão ocorre por meio de metáforas.”
Então, sonhar que está transando com o chefe significa que a pessoa está se tornando ciente de seu poder, está ganhando confiança. Uma noite tórrida (em sonho) com ator famoso pode refletir algum talento oculto e ainda desconhecido que está prestes a desabrochar. Mas, se a celebridade em questão for a Angelina Jolie (e você for mulher e hétero), o sonho quer dizer que você está cada vez mais confiante e confortável com a sua sexualidade ou, para Jatobá, que você está interessada em saber mais sobre você mesma e seus medos. “Não denota nenhuma tendência homossexual, isso é certo.” Sendo assim, sonhar que está transando com o ex não é motivo para colocar em xeque o namoro atual e entrar em dúvida sobre os sentimentos. “O inconsciente funciona como um arquivo morto, então esse tipo de sonho geralmente representa a identificação de características em comum entre o antigo e o atual relacionamento”, diz Jatobá. Não necessariamente comparações sobre o desempenho na cama, que fique claro.

A interpretação dos sonhos, apesar de algumas definições mais comuns a todos, pode variar de acordo com o contexto de cada um, dificilmente ela é universal. Então, a melhor forma de interpretar os sonhos é olhar para dentro de si mesma enquanto se está acordada – e não entrar em pânico se, vez ou outra, dividir a cama com o chefe (metaforicamente!).

Fonte: Marie Claire

Mais músculos, mais curvas: conheça o treino e a dieta certos para mudar o seu corpo


O caminho não é engordar e sim ficar mais forte, aumentando o peso ao ganhar massa muscular. Por isso, a opção por alimentos calóricos e gordurosos é o caminho mais errado para chegar onde você quer. Você está certa em escolher alimentos saudáveis, mas deve comer de 3 em 3 horas e sem exageros de proteínas (um erro comum de quem tenta ganhar massa muscular). Evite suplementos alimentares. Se realmente achar que precisa, consulte um nutricionista e avalie com ele a sua dieta atual.
O que vai fazer você ganhar massa de verdade é a atividade física, especificamente a que tiver sobrecarga muscular mais alta. Na academia, você pode optar por musculação, que é mais tradicional, fazendo um treino de força: mais peso, menos repetições. Normalmente você fará 4 séries de 8 repetições e pelo menos 2 exercícios de cada grupo muscular. Os treinos de casos como o seu são mais curtos (40 minutos, no máximo), porém mais intensos.
Se você é do time que detesta musculação, tem outras alternativas para ganhar massa muscular. As ginásticas funcional e localizada, por exemplo, são muito eficientes. Seja qual for a sua escolha entre essas três opções, ela deve ser praticada 5 vezes na semana, podendo chegar a 6.

Em relação à atividade aeróbica, uma aula de Spinning pode ajudá-la a ganhar massa muscular nas pernas. O problema é que, como tem um alto gasto calórico, você acaba emagrecendo demais ao praticá-la. Por isso, seus treinos aeróbicos devem ser intensos e não ter mais de 25 a 30 minutos - com uma frequência de 3 vezes na semana. Neles, privilegie a bicicleta com carga, pois ela ajuda a aumentar a massa muscular da perna.


O dono do manual

Caraca, li e gostei muito...
Continue...

"Quem gosta de ouvir as mulheres acaba escutando coisas que não têm equivalência na linguagem masculina. Outro dia, falando com uma amiga, ouvi uma expressão inédita para mim: o dono do manual. Quando percebeu a minha cara de espanto, a amiga deu uma risada gostosa e explicou que o dono do manual é, simplesmente, o sujeito que melhor transa com uma mulher. Não é o cara de quem ela mais gosta ou a quem ela mais admira, tampouco é o sujeito que ela ama ou com quem deseja se casar. É apenas (se é que o advérbio se aplica) o sujeito com quem ela faz sexo mais gostoso. Com mais liberdade, com mais intensidade, com mais prazer. Ao terminar essa explicação, minha amiga voltou à sua história e concluiu com ar tristonho: “Só de pensar que eu nunca mais vou transar com esse cara me dá uma tristeza...”. Ele é o dono do manual.
Como os homens são animais naturalmente inquisitivos, eu me pus a pensar se eu já fui o dono do manual de alguém. Ou sobre quem seria o dono do manual das mulheres que passaram pela minha vida. O resultado não foi inteiramente tranquilizador. É inquietante pensar que a mulher que você ama pode ter outro homem como paradigma sexual. Enfim, fiquei abalado com as palavras da amiga. Nos últimos anos, quando isso acontece, eu recorro a um mecanismo que, por falta de um nome melhor, eu vou chamar de equivalência sexual. Penso se aquilo que me perturbou no comportamento ou no sentimento da mulher já não aconteceu comigo. Em geral a resposta é sim.
No caso do dono do manual não foi diferente. Todo homem adulto se lembra de uma ou mais mulheres com quem o sexo costumava ser prodigioso. Fulana era espetacular, Sicrana me punha louco. Há casos de química arrebatadora e há situações arriscadas e excitantes. Às vezes essas duas coisas se somam para um efeito avassalador. Que fica. Anos depois, você está mergulhado no trabalho e vem do nada uma lembrança tão pungente que dá vontade de ligar para o 102 e descobrir, naquele instante, o paradeiro da desgraçada. Mas você não liga. Não faria sentido.
Muitas dessas coisas, senão a totalidade delas, nada têm a ver com amor. É sexo do bom, às vezes com péssimas consequências. Lembro de várias conversas ao longo dos anos com amigos divididos entre a mulher de quem eles gostavam e a mulher com quem transavam feito louco. O que fazer? Nem sempre a vida põe o melhor de tudo no mesmo pacote. Quando isso acontece, as pessoas têm de escolher. Eu suspeito, sem base científica, que os homens raramente escolhem o sexo. Assim como as mulheres.
Logo, não há motivo para desespero se o dono do manual dela não é você. É provável que “a dona do seu manual” (entre aspas, propositalmente) também não seja ela - embora haja uma diferença sutil na importância que homens e mulheres atribuem aos parceiros sexuais fabulosos.

Leia mais...

Tatuagem não tem idade


Executivo do ramo financeiro, Cláudio Lorenzetti, 68 anos, adiou por décadas o sonho de ter uma tatuagem por temer o preconceito principalmente no ambiente de trabalho. Este ano finalmente tomou coragem de entrar em um estúdio. Apesar das dores das agulhadas, saiu realizado com o rosto de Jesus Cristo desenhado no braço direito. “Sempre tive vontade de tê-lo aqui no meu corpo”, conta ele, atualmente consultor, que é um católico fervoroso. A esposa, Nilza, da mesma idade, não só aprovou a novidade como também aproveitou a onda e resolveu tatuar uma borboleta no pulso.
Depois de ter conseguido sair do submundo e conquistado as classes média e alta, agora a tatuagem também rompe a barreira da idade. É cada vez mais comum encontrar pessoas com mais de 60 anos nos estúdios e até famílias inteiras decorando o corpo. “Já tatuei um senhor de 80 anos”, conta Fábio Mancha, do estúdio Art Classic, de Santos, que tem percebido o aumento desse público nos últimos dois anos. “Atendo pelo menos duas pessoas por mês com idade entre 50 e 70 anos, a maioria mulheres”, comenta o tatuador.

O fato de os procedimentos terem se tornado mais confiáveis e menos dolorosos ajudou a quebrar o receio dos mais velhos, acredita o dono do Kiko Tattoo, Alexandre Rodrigues, do Rio de Janeiro. “Tatuagem não é mais uma coisa de gente maluca”, diz ele, que possui três lojas dentro de shopping centers cariocas. Esse público, porém, é mais exigente. “Eles só aderiram às tatuagens após o surgimento de equipamentos mais modernos, ambientes mais higienizados e bom atendimento”, afirma Rodrigues. Hoje, os estúdios sérios usam agulhas descartáveis, acessórios esterilizados e tintas de qualidade.


O nascimento da saúde - Parte 2

Sabe-se também que a alimentação materna pode ter impacto na chance de a criança vir a desenvolver câncer. “Dependendo de sua qualidade, a nutrição da mãe pode produzir células geneticamente instáveis e propensas à doença”, disse à ISTOÉ David Barker, da Universidade de Southampton, na Inglaterra. Um dos principais vilões, neste caso, são os embutidos. “Eles apresentam em sua composição uma substância carcinogênica que pode atuar sobre o feto”, explica a nutricionista Elaine de Pádua, de São Paulo. Porém, o risco para o bebê não está apenas na dieta equivocada. Se a gestante fumar, usar drogas ou tomar antibióticos inadequados, também deixará o feto mais vulnerável à enfermidade. “E há evidências de que a exposição da grávida a inseticidas aumenta as chances de tumores renais”, afirma a oncopediatra Viviane Sonaglio, do Hospital do Câncer de São Paulo.

Leia mais...

11 de out de 2010

O populismo de Tropa 2

Saí de Tropa de Elite 2 convencido de que assistira a um grande filme. Quanto mais eu penso, minha empolgação diminui.É um filme bom, um grande thriller. Tem cenas de ação, ótimos atores — Wagner Moura é um grande destaque mas não é o único — e você pode entrar no cinema certo de que irá ficar de olho preso na tela do primeiro ao último minuto.Vai dar risada em cenas de humor e também irá sentir-se horrorizado em situações de uma violência macabra. Com a direção de José Patilha, que sabe contar uma história, a narrativa avança e recua num roteiro bem construído.

Mas Tropa 2 quer fazer um discurso político sobre o Brasil e aí o filme se perde num universo ideológico antigo, numa indignação cuja raiz lembra o populismo janista que dominou o conservadorismo civil brasileiro nos anos anteriores ao golpe de 64.A base do discurso janista — muito diferente da prática, por sinal — era uma visão moralista da política, como se fosse um um mundo sem conflitos sociais nem interesses materiais.Havia um político honesto — o próprio Janio — em luta contra os demais. Não por acaso, sua idéia era passar uma vassoura na política brasileira, cujo símbolo maior era o desenvolvimentismo de JK, seu maior adversário e alvo político.

A idéia de Tropa 2 é que o Estado não presta, os políticos são todos corruptos, a imprensa está comprometida com interesses obscuros, as eleições são fruto da roubalheira e a polícia deveria acabar. É um visão com muitos elementos verdadeiros, mas parcial e simplificadora.Todos nós sabemos os problemas, carências e vícios do Estado brasileiro. Mas Tropa 2 erra no tom.“A PM deveria ser extinta,” diz o coronel Nascimento (ele foi promovido, entre um filme e outro). Não dá para entender.

Na cena final, Tropa 2 mostra imagens de Brasilia e da Esplanada dos Ministérios. Fica a sugestão de que o país inteiro está dominado por aquilo que o filme chama de “sistema,” organismo definido numa cena como “articulação de interesses escrotos”. Quem são os vilões? Os políticos. Por que eles roubam? Para conseguir votos. É fácil entender o CQD desta equação, não é? Compreensivelmente, o personagem positivo do filme é um herói quase utópico, à beira do inviável: um professor de história que se torna combatente pelos direitos humanos e por fim vira deputado estadual por um partido chamado PSOU (você entendeu: é o PSOL e o personagem foi inteiramente inspirado num parlamentar da sigla que foi um dos candidatos mais votados do Rio de Janeiro em 2010).

Nos debates do Tropa 1, Padilha disse que enfocava a violência de um ponto de vista que não era marxista nem neo-liberal. Em Tropa 2 o discurso político é uma revolta pelo fim do Estado. É como se não houvesse classes sociais, nem interesses mais amplos em choque. Não há política — apenas uma guerra de quadrilhas.

Aquele regime que temos no Brasil é descrito como uma usina de bandidos, ocupados apenas em enriquecer ilicitamente, enganar o povo e eliminar os adversários, à bala, se for necessário. Nós sabemos que a corrupção existe, basta abrir os jornais para saber dos males que provoca mas não é possível confundir as coisas. Como dizia o conservador Winston Churchill a democracia é o pior dos regimes do mundo — com exceção de todos os outros.

Autor: Paulo Moreira Leite

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

DesinArtes, minha loja VIRTUAL! Confira!